Olhos…

Olhos suaves
Profundos
Um convite
Um mergulho
Na profundidade do oceano

Olhos marcantes
Determinados
Firmes
Um alerta
Que não existem empecilhos

Olhos marotos
Sorrateiros
Fogosos
Como crianças
Brincando entre estrelas

Olhos quentes
Luminosos
Radiantes
Como sóis
Iluminam
Aquecem
No lance de olhares

Triste ainda existirem
Olhos frios, distantes
Desconectados
Alertando
“Não te aproximes”

Apesar da frieza
Em algum ponto
No interior do ser
Uma chama
Quase apagada
Ainda brilha
Trêmula, lutando
Para que não se apague
O filete de luz
Da chama esperança

Determinada permanece
Tentando descongelar
A mente aprisionada
Nos medos
Nas noites escuras d’alma

Por: Erica Brandt

Data: 15/04/2010

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

1 + dezesseis =